click here for english version
Procurar

Fórum
Usuário

Senha





A reprodução, total ou parcial, das informações contidas nessa página é permitida sempre e quando for citada a fonte.
Ações sociais, informação ao público e artigos diversos

Pesquisadores do INCT para Controle do Câncer são contemplados com verba do Ministério da Saúde proveniente do acordo com o Escritório das Nações Unidas Sobre Drogas e Crime (UNODC) para monitorar a resistência do vírus da hepatite C (VHC) aos medicamentos antivirais recém-introduzidos no SUS

O grupo chefiado pelo Dr. Marcelo A. Soares, do Programa de Genética do INCA e membro do INCT do Controle do Câncer, estuda o aparecimento da resistência do VHC aos novos medicamentos inibidores da protease viral, o telaprevir e o boceprevir, com o início do tratamento de pacientes em estágios avançados de fibrose e pacientes cirróticos. O VHC infecta mais de 170 milhões de pessoas no mundo é uma das causas-líderno desenvolvimento do hepatocarcinoma celular, que mata quase 8 mil brasileiros a cada ano. O conhecimento da resistência adquirida pelo uso dos medicamentos é essencial na contenção da disseminação de cepas virais resistentes ao nível populacional. Populações-alvo específicas poderão ser almejadas para estratégias de prevenção, controle e tratamento, diminuindo o risco de epidemias locais ou disseminadas. A informação dos perfis de resistência aos medicamentos atualmente implementados e mesmo aos futuros será útil na formulação, pelo Ministério da Saúde, de esquemas de tratamento de 1ª linha e de resgate para os pacientes que necessitam de tratamento antiviral. Finalmente, os dados gerados neste monitoramento poderão dar subsídios acerca da necessidade da implementação de potenciais testes genotípicos de resistência (com base na sequencia genética do vírus), e de algoritmos para sua interpretação, a partir de políticas governamentais, o que hoje já acontece para o HIV, agente causador da Aids. O grupo também propõe o desenvolvimento de um ensaio fenotípico de atividade enzimática da protease viral do VHC contendo mutações de resistência, que poderá ser tornar um kit com potencial tecnológico para o DECIT e o MS.


***

 

Pesquisas sobre prevalência de infecção por HPV entre mulheres cobertas pela Estratégia de Saúde da Família.

O projeto propiciou a integração de pesquisadores da área de Epidemiologia e Biologia Molecular das Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Universidade Federal de Juiz de Fora e Universidade São Paulo. Além disto, foi construída uma grande articulação entre profissionais de saúde de unidades básicas da Secretaria Municipal de Saúde de Juiz de Fora e agentes de saúde da Estratégia de Saúde da Família

A grande contribuição que pode vir da integração entre profissionais de serviços de saúde e grupos de pesquisa é poder avançar na construção de estratégias para o enfrentamento dos principais problemas de saúde pública no país com base em evidência científica. Neste sentido, é muito interessante o exemplo que temos a partir dos projetos do INCT do Controle de Câncer HPV e INCT- HPV que incorporam pesquisadores das áreas de epidemiologia e biologia molecular em investigações sobre a prevalência de infecção por HPV e fatores associados à persistência de lesões no colo do útero. Estes projetos estão sendo realizados em áreas geográficas de populações de baixa renda. A inclusão de testes de detecção de HPV em estudos em desenvolvimento em serviços básicos de saúde permitem não só identificar quais são os principais tipos destes vírus e as condições que levam às mulheres a evoluir para o câncer do colo do útero, mas permitem avaliar a efetividade das ações de rastreamento com base no teste de Papanicolaou. Tem sido, assim, muito estimulante o trabalho em conjunto com profissionais e agentes de saúde e a troca de experiências tem contribuído diretamente na formação de todos. Com certeza estas iniciativas que tiveram como início o desenvolvimento de pesquisa, já puderam trazer como benefício a melhora das ações de rastreamento para este tipo de câncer e, sobretudo, têm influenciado os gestores locais de saúde no estabelecimento de suas agendas de prioridades voltadas para saúde integral das mulheres.


***

 

O "GLOBAL ADULT TOBACCO SURVEY" (GATS) RECEBEU O INFORME SOBRE CONTROLE DO TABAGISMO NO BRASIL (PETaB)
 

A gerente da Divisão de de Pesquisa Populacional do INCA, LIZ MARIA DE ALMEIDA, apresentou os principais resultados da  coleta de informações para avaliar o impacto das ações de controle do tabaco no país e subsidiar novas iniciativas com o mesmo propósito. De acordo com os resultados, o total de fumantes correspondeu a 17,2% da população acima de 15 anos. Os percentuais de fumantes foram maiores entre os homens (21,6%), entre as pessoas de 45 a 64 anos de idade (22,7%), entre os moradores da região Sul (19,0%), os que viviam na área rural (20,4%), os menos escolarizados (25,7% entre os sem instrução ou com menos de um ano de estudo) e os de menor renda (23,1%) entre os sem rendimento ou com menos de um quarto de salário mínimo).

Um dos pontos destacados desse estudo foi a constatação de que no Norte e no Nordeste há um percentual significativo de fumantes adeptos do cigarro enrolado à mão. O cigarro que eles consomem não vem com advertência sanitária nem com o número do Disque Saúde, já que não são industrializados.

Em relação à exposição ao fumo passivo,  4% dos entrevistados declararam exposição à fumaça de tabaco em unidades de saúde. É preciso reforçar a capacitação dos profissionais de saúde não só para que eles não fumem no local de trabalho, mas para elevar o índice daqueles que aconselham seus pacientes a deixarem de fumar: segundo a pesquisa, 57%.

A pesquisadora TÂNIA CAVALCANTI, secretária da Comissão Interministerial para Implementação da Convenção-Quadro no Brasil, disse que as próximas etapas da Política Nacional de Controle do Tabaco serão orientadas pela PESQUISA ESPECIAL DE TABAGUISMO, que tem periodicidade prevista a cada cinco anos. O país enfrenta um forte lobby da indústria fumagueira porque o Brasil é o segundo maior produtor e o principal exportador de tabaco. Por esse motivo, é necessário oferecer alternativas viáveis para os pequenos produtores. Entre as ações que foram implementadas com sucesso no Brasil para diminuir a oferta e a demanda pelo tabaco estão a proibição da propaganda fora dos pontos de venda, o aumento de impostos sobre os produtos de tabaco, o aumento da oferta de tratamento para deixar de fumar no SUS, a aprovação de leis estaduais proibindo o fumo em lugares fechados de uso coletivo – enquanto aguarda-se a aprovação de lei federal com o mesmo propósito.

 

***

 

BENEFITS OF THE INTERMITTENT USE OF 6-MERCAPTOPURINE AND METHOTREXATE IN MAINTENANCE TREATMENT FOR LOW-RISK ACUTE LYMPHOBLASTIC LEUKEMIA IN CHILDREN: RANDOMIZED TRIAL FROM THE BRAZILIAN CHILDHOOD COOPERATIVE GROUP—PROTOCOL ALL-99.
SILVIA R. BRANDALISE, VITÓRIA R. PINHEIRO, SIMONE S. AGUIAR, EDUARDO I. MATSUDA, ROSEMARY OTUBO, JOSÉ A. YUNES, WALDIR V. PEREIRA, ENY G. CARVALHO, LILIAN M. CRISTOFANI, MARCELO S. SOUZA, MARIA L. LEE, JANE A. DOBBIN, MARIA S. POMBO-DE-OLIVEIRA, LUIZ F. LOPES, KATHARINA N.T. MELNIKOFF, ALGEMIR L. BRUNETTO, LUIZ G. TONE, CARLOS A. SCRIDELI, VERA L.L. MORAIS, MARCOS B. VIANA.
Jornal of Clinical Oncology 2010, 28(11):1911-1918.

 

***

 

DETAILED HAPLOTYPE ANALYSIS AT THE TP53 LOCUS IN P.R337H MUTATION CARRIERS IN THE POPULATION OF SOUTHERN BRAZIL: EVIDENCE FOR A FOUNDER EFFECT.
SONIA GARRITANO, FEDERICA GEMIGNANI, EDENIR INEZ PALMERO, MAGALI OLIVIER, GHYSLAINE MARTEL-PLANCHE, FLORENCE LE CALVEZ-KELM, LAURENCE BRUGIERES,
FERNANDO REGLA VARGAS, RICARDO RENZO BRENTANI, PATRICIA ASHTON-PROLLA, STEFANO LANDI, SEAN V. TAVTIGIAN, PIERRE HAINAUT, MARIA ISABEL W. ACHATZ.
Human Mutation 2010, 31(2):143-150.

 

***


SEXUAL BEHAVIOURS AND THE RISK OF HEAD AND NECK CANCERS: A POOLED ANALYSIS IN THE INTERNATIONAL HEAD AND NECK CANCER EPIDEMIOLOGY (INHANCE) CONSORTIUM.
JULIA E HECK, JULIEN BERTHILLER, SALVATORE VACCARELLA, DEBORAH M WINN, ELAINE M SMITH, OXANA SHAN’GINA, STEPHEN M SCHWARTZ, MARK P PURDUE, AGNIESZKA PILARSKA, JOSE ELUF-NETO, ANA MENEZES, MICHAEL D MCCLEAN, ELENA MATOS,
SERGIO KOIFMAN, KARL T KELSEY, ROLANDO HERRERO, RICHARD B HAYES, SILVIA FRANCESCHI, VICTOR WU¨NSCH-FILHO, LETICIA FERNANDEZ, ALEXANDER W DAUDT, MARIA PAULA CURADO, CHU CHEN, XAVIER CASTELLSAGUE, GILLES FERRO, PAUL BRENNAN, PAOLO BOFFETTA, MIA HASHIBE.
International Journal of Epidemiology 2010, 39(1):166-181.

 

***
 

RAPID AND SENSITIVE ALLELE-SPECIFIC (AS)-RT-PCR ASSAY FOR DETECTION OF T315I MUTATION IN CHRONIC MYELOID LEUKEMIA PATIENTS TREATED WITH TYROSINE-KINASE INHIBITORS.
GONZALO MANRIQUE ARECHAVALETA, VANESA SCHOLL, VERÓNICA PÉREZ, ROBERTA BITTENCOURT, ARTHUR MOELLMANN,
ROCIO HASSAN, HÉCTOR N. SEUÁNEZ, JANE DOBBIN, LEM MARTINEZ, ILANA ZALCBERG RENAULT, ROSARIO URIARTE.
Clinical and Experimental Medicine 2011, 11(1):55-59.

***
 

MELATONIN PROTECTS CD4+ T CELLS FROM ACTIVATION-INDUCED CELL DEATH BY BLOCKING NFAT-MEDIATED CD95 LIGAND UPREGULATION.
ALZIANA MORENO DA CUNHA PEDROSA, RICARDO WEINLICH, GIULIANA PATRICIA MOGNOL, BRUNO KAUFMANN ROBBS,
JOÃO PAULO DE BIASO VIOLA, ANA CAMPA, GUSTAVO PESSINI AMARANTE-MENDES.
Journal of Immunology 2010, 184(7):3487-3494.

***
 

SUZ12 IS A CANDIDATE TARGET OF THE NON-CANONICAL WNT PATHWAY IN THE PROGRESSION OF CHRONIC MYELOID LEUKEMIA.
LUCIANA PIZZATTI, RENATA BINATO, JAIME COFRE, BERNADETE E. GOMES, JANE DOBBIN, MARIA EMILIA HAUSSMANN, DENISE D’AZAMBUJA, LUIS FERNANDO BOUZAS, ELIANA ABDELHAY.
Genes, Chromosomes & Cancer 2010, 49(2):107-118.

***
 

UNDERSTANDING THE HIV-1 PROTEASE NELFINAVIR RESISTANCE MUTATION D30N IN SUBTYPES B AND C THROUGH MOLECULAR DYNAMICS SIMULATIONS.
ROSEMBERG O. SOARES, PAULO R. BATISTA, MAURICIO G.S. COSTA, LAURENT E. DARDENNE, PEDRO G. PASCUTTI,
MARCELO A. SOARES.
Journal of Molecular Graphics and Modelling 2010, 29(2):137-147.

 

***


LIPID DROPLETS IN INFLAMMATION AND CANCER.
PATRICIA T.BOZZA, JOÃO P. B. VIOLA.
Prostaglandins, Leukotrienes and Essential Fatty Acids 2010, 82(4-6):243–250.

 

***
 

ASSOCIATION BETWEEN A 15q25 GENE VARIANT, SMOKING QUANTITY AND TOBACCO-RELATED CANCERS AMONG 17 000 INDIVIDUALS.
ESTHER H LIPS, VALERIE GABORIEAU, JAMES D MCKAY, AMELIE CHABRIER, RAYJEAN J HUNG, PAOLO BOFFETTA, MIA HASHIBE, DAVID ZARIDZE, NEONILIA SZESZENIA-DABROWSKA, JOLANTA LISSOWSKA, PETER RUDNAI, ELEONORA FABIANOVA, DANA MATES, VLADIMIR BENCKO, LENKA FORETOVA, VLADIMIR JANOUT, JOHN K FIELD, TRIANTAFILLOS LILOGLOU, GEORGE XINARIANOS, JOHN MCLAUGHLIN, GEOFFREY LIU, FRANK SKORPEN, MAIKEN BRATT ELVESTAD, KRISTIAN HVEEM, LARS VATTEN, EPIC STUDY, SIMONE BENHAMOU, PAGONA LAGIOU, IVANA HOLCATOVA, FRANCO MERLETTI, KRISTINA KJAERHEIM, ANTONIO AGUDO, XAVIER CASTELLSAGUE, TATIANA V MACFARLANE, LUIGI BARZAN, CRISTINA CANOVA, RAY LOWRY, DAVID I CONWAY, ARIANA ZNAOR, CLAIRE HEALY, MARIA PAULA CURADO,
SERGIO KOIFMAN, JOSE ELUF-NETO, ELENA MATOS, ANA MENEZES, LETICIA FERNANDEZ, ANDRES METSPALU, SIMON HEATH, MARK LATHROP, PAUL BRENNAN.
International Journal of Epidemiology 2010, 39(2):563–577.

@ copyright 2011 | Este site é melhor visualizado em 1024 x 768